Acesso ao site VLibras
  |             |  
Ir para Conteúdo 1 Ir para Menu 2 Ir para Rodapé 3 Ir para Acessibilidade 4 Ir para Mapa Site 0
imagem de loader quanto carrega a página
O Conselho Municipal de Saúde promoveu, na quinta-feira, dia 24, sua primeira reunião após o início da pandemia. O encontro virtual, devido aos protocolos sanitários, contou com a presença da secretária de Saúde, Ana Pimentel, e das subsecretárias, que apresentaram as linhas estratégicas de trabalho do órgão. Por meio de respostas aos conselheiros, a secretária demonstrou como pretende conduzir as ações de forma a promover saúde com um conceito amplo, envolvendo segurança alimentar, educação física, esporte e cultura.

Uma das novidades anunciadas foi o uso de carro de som nos bairros a partir da próxima semana para divulgar a vacinação e medidas de prevenção ao coronavírus, considerando que nem toda população tem acesso à internet. As Unidades Básicas de Saúde (UBSs), inclusive, foram orientadas a ajudar essas pessoas a preencherem o formulário de pré-cadastro para vacinação que, neste momento, atende a idosos acima de 88 anos, profissionais da saúde da ativa de 60 anos ou mais, e trabalhadores da saúde que atuam no combate à Covid-19.

Foi esclarecido que a não realização do pré-cadastro não é impeditivo para a imunização. A subsecretária de Vigilância em Saúde, Cecília Kosmann, disse que o instrumento é usado para planejamento de ações e para tornar o processo de imunização mais rápido. Quando o assunto foi o público-alvo da vacinação, Cecília explicou que o município segue orientações do Estado quanto à priorização e que a população de rua vai ser atendida seguindo as determinações do PNI, assim como pessoas com comorbidades entre 18 e 59 anos e pessoas com deficiência grave. Cecília ainda informou que os cuidadores de idosos integram o grupo de trabalhadores da saúde, porém, lembrou que Juiz de Fora recebeu 73% de doses para imunizar esse grupo, razão pela qual o atendimento está na dependência do envio de mais imunizantes.

O abastecimento de oxigênio foi abordado pela secretária adjunta de Saúde, Ana Luisa Afonso Guimarães. Desde o início da atual gestão foi providenciado um inventário dos locais que usam o produto, a quantidade e a capacidade instalada de cada um. Ela informou que a rede tem o suficiente para funcionar e que há a existência de um contrato de urgência que assegura a ampliação do fornecimento se necessário.

Para a subsecretária de Urgência e Emergência, Renata Prado Nogueira Fabrino, o momento é de compartilhar e repensar todas as instâncias da saúde e de uma construção coletiva. As intervenções vão buscar a melhoria no tempo de resposta aos pacientes.

A conselheira de saúde do Jardim Esperança solicitou mais um médico e um dentista para a Unidade Básica de Saúde (UBS) que serve ao bairro. A subsecretária de Atenção à Saúde, Delaine La Gatta Carminate adiantou que foi publicado nos Atos do Governo desta quarta-feira, 24, o chamamento de médicos e que já está prevista a designação de um deles para a localidade.

Questões como fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), informatização de toda rede assistencial; fortalecimento, valorização e qualificação da atenção primária em saúde, aprimoramento ainda maior da regulação e enfrentamento à pandemia estão entre as metas traçadas. A subsecretária de Regulação, Kelle Delgado, falou sobre o número de leitos disponíveis em Juiz de Fora, e ressaltou a percepção de que os números de hospitalizações devem se elevar novamente.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde, Armando Ananias, e o secretário executivo, Jorge Ramos, anunciaram o planejamento do Plano Municipal de Saúde no primeiro semestre deste ano e a Conferência Municipal de Saúde no segundo semestre.

Imagem: Arquivo/PJF

uma imagem de x

Juiz de Fora contra o Coronavírus | PJF
Portal informativo e educativo para auxiliar no combate ao Covid-19.